Uma história

Depois de uma semana com porre de computador por motivos que prefiro não falar (e não foi por nenhum tipo de proibição), estou aqui de volta.
Lembrei de um fato que acho impressionantemente incrível: O fato daqueles pássaros mitologicos, da espécie Fênix… Eles renascem das cinzas, são pássaros belos e representam a vida após a morte.
É aqui que queria chegar. O fato de representar vida após a morte é um fato otimo para falar um pouco de mim: Estas duas últimas semanas foram marcadas por uma perda sentimental (não por causa de álguem que morreu e talz, isso ainda não aconteceu).
Simples: Agora é hora de tentar mudar, mas infelizmente ainda dentro, na essência mesmo, ainda existe a lembrança.
 
Está ai á nossa frente  nova vida antiga. Curta.

Juste pour dites au revoir

C’est une musique d’Evanescence appelée le « My Immortal  » et je veux montrer cette musique juste pour une fille, ma petite soeur éternelle qui doivent sortir de ma vie. C’est le moment pour le cri, ainsi nous a laissés pleurer encore ce ce dernier revoir encore.
Celui qui, si c’est l’heure d’aller, je vous manque trop muh comme vous pouvez penser. Cette musique indiquent peut-être quelque chose au sujet de nous. Désolé pour tout que j’ai fait, mais si vous devez aller con’t d’I faites plus de n’importe quoi
 
Je suis si fatigué d’être ici
Oppréssé par toutes mes peurs enfantines
Et si tu dois partir
Je souhaites que tu doives juste partir
Car ta présence restera toujours ici
Et elle ne me laissera pas tout seul

Ces blessures ne veulent pas partir
Cette douleur est trop vraie
Il y en a tellement que le temps ne pourra les effacer

Quand tu pleures j’essuyerai toutes tes larmes
Quand tu cries je me battrais contre tes peurs
Je t’ai tenue ta main durant toutes ces années
Et tu m’auras toujours entier

Tu avais l’habitude de me captiver
Par ta lumière résonnante
Et maintenant je suis lié à la vie que tu laissesderrière
Ton visage hantes toutes mes plaisantes nuits
Et ta voix m’a oté toute la santé

Ces blessures ne veulent pas partir
Cette douleur est trop vraie
Il y en a tellement que le temps ne pourra les effacer

Quand tu pleures j’essuyerai toutes tes larmes
Quand tu cries je me battrais contre tes peurs
Je t’ai tenue ta main durant toutes ces années
Et tu m’auras toujours entier

J’ai tellement essayé de me dire que tu étais partie
Et pourtant tu est toujours avec moi
Alors que j’ai été seul tout le temps

Mais uma vez, último adeus

Porque?

Novamente tudo assim tão derrepente que se nada estivesse acontecendo?

Mais um adeus, talvez sem volta?

Mais uma noite de desespero e de nós perdidos em lágrimas?

Porque?

As pessoas acham que se estamos juntos é por amor carnal?

O frio parece mais congelante do que está?

Tentamos chegar aqui, mas num caminho onde somente um controla?

Porque?

Ainda somos tão ingênuos ao ponto de não querer mais esta vida?

Queremos mesmo que seja assim?

Porque não podemos ser felizes com nossos irmãos que achamos sempre que foram de verdade?

O caminho mais uma vez está tampado pelas nuvens sombrias que o mundo nos colocou sobre nossas costas, perdidos na imaginação de que não somos capazes, agora dizemos mais uma vez o nosso último adeus sem saber que o pra sempre, nem sempre acaba assim como o resto do mundo acha que deveria ser.

Hoje tomei novas de como continuar interpretando essa coisa toda que está acontecendo: Sei que se machucamos muito por dentro pela terceira vez por causa de outrem, mas quem diria: Está escrito que ainda somos aqueles que estamos passando por provas e que depois talvez ainda vamos para um local pior para descobrirmos o nosso verdadeiro ser e se arrepender. Já não basta o que já passamos até hoje?

Afinal o que ainda estamos fazendo aqui se ainda tem local pior que este? Mande-nos até lá!

Local de perdição que estamos vivendo no qual o dinheiro e o capitalismo está destruindo cada dia mais os nossos corações já endurecidos pelas pedras que encontramos em nosso caminho tão frajuto e sem saber o nosso destino que ainda vêm a frente.

Perdi e você também perdeu um pedaço da gente, um pedaço que mesmo perdido ainda estará grudado um no outro sem querer saber ao menos o que ele talvez vá nos representar no futuro.

Se as coisas tiveram que acontecer, elas vão acontecer de uma forma ou de outra não importa como, mas mesmo assim que morra a idéia de que as coisas ruins que tiverem que acontecer, vão acontecer do pior jeito possivel.

Se um dia você destruiu um coração ou dois ou mais, talvez seja porque você tenha medo de deixar o que um dia aconteceu com você, acontecer com um outro alguem que está perto de você, mas se isso vier à tona, deixe a pessoa ir para o buraco do jeito que ela queira e so a retire quando vc achar que deve realmente, mas se for pra destruir algo, prefiro dizer adeus a você e continuar contando os meus passos junto com alguem que realmente me entende e sempre me quis bem não importando nada que podesse nos prejudicar.

Agora você nos obrigou a dizer o ultimo adeus, talvez esse já sem volta, mas com a dor que está dentro de nós.

Talvez eu seja tolo de ainda querer tentar mais uma vez uma coisa que nós queremos e você não quer.

Nada mais que isso talvez seja preciso para que a gente venha a se reconhecer uma quarta vez, porque agora acabou. Machucou.

Afinal, se ainda estamos num local bom, porque sofremos tanto ainda?

Bem que nunca nos avisaram que se o problema fosse a merda do dinheiro que você não quer que seja perdido, porque não nos avisaram para o esfregar em sua cara, já que esse é o problema de tudo?

Talvez as pessoas nos não as compramos com dinheiro ou com presentinhos, mas sim com sentimentos.

Se você quer destriuir isso, mate-me que será mais lucro a ti, porque eu não vou parar de tentar, eu não vou deixar isso parar, se a gente já veio até aqui não é alguem que vai nos tirar os sentimentos e a amizade e o jeito de familia que nos temos.

Isso é igual separar irmãos que nasceram no mesmo corpo: Se tira um, os dois podem morrer a qualquer instante.

Então,

Mais uma vez, o meu último adeus e mesmo assim ainda espero que quem é a pessoa de verdade aqui continue comigo, sempre, porque sempre vai estar guardada dentro de mim não importando o que aconteça e se assim, até o nosso primeiro milionésimo reencontro neste que é o nosso lugar.

Music Is My Hot

Music Is My Hot, Hot Sex
    by Cansei de Ser Sexy
 
From all the drugs the one I like more is music
From all the junks the one I need more is music
From all the boys the one I take home is music
From all the ladies the one I kiss is music (muah!)
Music is my boyfriend
Music is my girlfriend
Music is my dead end
Music is my imaginary friend
Music is my brother
Music is my great-grand-daughter
Music is my sister
Music is my favorite mistress
From all the shit the one I gotta buy is music
From all the jobs the one I choose is music
From all the drinks I get drunk of music
From all the bitches the one I wannabe is music
Music is my beach house
Music is my hometown
Music is my kingsize bed
Music’s where I meet my friends
Music is my hot hot bath
Music is my hot hot sex
Music is my back rub
My music is where I’d like you to touch
 
Claro-que-sim
Fui escoteira-mirim
Direto da escola, não
Não ia cheirar cola
Nem basquete, pebolim
O que eu gosto não é de graça
O que gosto não é farsa
Tem guitarra, bateria, computador saindo som
Alguns dizem que é mais alto que um furacão (rhéum)
Perto dele eu podia sentir
Saía de seu olho e chegava em mim
Sentada do seu lado
Eu queria encostar
Faria o tigela até o sol raiar
Debaixo do lençol
Ele gemia em ré bemol
Fiquei tensa
Mas tava tudo bem
Ele é fodão, mas eu sei que eu sou também
 
—————————
Agora eu imagino os gringos (principalmente ingleses) que são viciados neles cantando a parte em portuga sem saber o que estão falando. Hilário.

Oversweets (overdose de doces)

Festa de criança é sempre a mesma coisa: Todo mundo vai, come até morrer e depois bate palmas para comer um pedaço de bolo e em seguida vai embora. Hoje não foi diferente.
Teve um detalhe: eu acho que estou começando a ter problemas em relação ao exesso de doces… Mas enquanto eu não parar no hospital por exesso de chocolate, está otimo.

Baiser la bonne manière

Como se eu hoje não tivesse nada a dizer,
Somente me venho a lamentar,
Férias desgraçadas venham a me atormentar,
Com nada á fazer.
 
Hoje quase morri
De tédio, de odio e de ciumes eu sofri
Chorando abaixo do sorrizo que eu abri
Vozes obscuras das quais eu já corri
 
Pelo que tudo que há de entender,
Deixe-me caminhar ao amanhecer,
N’alvorada que acaba de adormecer.
 
Meu amor ocuto,
A ti te dei este mundo,
Hoje sozinho e imundo.
Mais um soneto se nome…
Meu dia me inspirou esta poesia, quero só saber o que realmente eu sou e porque eu existo… Porque que não há respostas.
Vida talvez ingrata ou até justa demais por aquele quem um dia eu fui. Não quero que alguns aqueles que moram dentro de mim partam antes que eu mesmo vá.
Eu sei que você está aqui, pena que não podemos mais se ver (talvez).