De onde se vem aquela inspiração?

Talvez não é porque hoje é dia de Natal que vou falar algo de Natal, pois isso já está enchendo o saco em certa parte, pois todo ano é a mesma mesmície que temos. Uma novidade seria apenas se os seres capitalizados estão realmente fazendo o sonho de tantas famílias virar realidade. Talvez seja esse o tal sonho utopico do qual ainda estamos para tentar garantir a inspiração que precisamos.
Daqui quase uma semana vai acabar o ano e talvez nada mude. Talvez.
Mas afinal que inspiração é essa que eu digo? A mesma que tenho para escrever aquelas poesias do http://sonhopequenino.spaces.live.com? Não mesmo, pois aquela inspiração é uma platonica-sentimental (talvez platonica). A inspiração que aqui digo é a de ser uma pessoa melhor. Já tentou hoje? Pense. Inspire-se.

Algo Mais

Noite enluarada
Ilumina o ambiente
Na forma azul animada
Que envolme minha mente
 
Do escolhido método
Para tentar puxar você
Apenas para mim
Iria talvez, funcionar
 
Pelo jeito que sou
Talvez não me ame
Ou talvez adora
 
Quem seria eu para pedir
Que fosse algo mais
E nossos encontros reais?
 
 
Poesia é algo que me faz sentir bem para liberar "o que há" e dizer tudo que preciso. Mesmo tendo o romantismo ao topo disso tudo há sempre quem venha a me inspirar, talvez nem sempre essa pessoa sabe que é para ela e que ela é mais que ela espera…
para h.m.

Colibri

Colibri bate asas
Voa ao longo infinito
Das longínguas casas
Trazendo o seu canto bonito
 
Colibri trazis a notícia
Da velha família
Que antes eu a pertencia
Nobre aquela vigília
 
Voou ao longe. Reencontrou
Das aves que se passou
Amores, vidas: relembrou
Contudo, nada me contou
 
Jovem pássaro sábio
Sabe a verdade
Não faz-se voz, não passa do lábio
Contudo é gesto de solidariedade
 
Ao por-do-sol que sai
Recolhem-se ao ponto da partida
Confesso que isso me atrai
Pena que volta aborrecida
 
Meias horas que se foram
Vagalumes da mata em descanço
Das horas que passaram
Incandecem a escuridão do doce balanço
 
Pra que, Colibri, se apaixonar
Se eu poderia em paz ficar
Do que essa escura noite aficcionar
Os teus olhos-jabuticaba agraciar
 
Me pergunto que passarinho é você
Dos dias traz-me o meu encanto