Versos soltos meus ou seus, não sei.

Queria que não fossem apenas promessas
Seriam mais que conversas
Alegria compartilhada em conjuntos
Espero que nesta estejamos juntos

Tantos versos que já fabriquei
Talvez uma maquina eu seja, não neguei
A rima é proposital
Assim como os versos que fiz para você, e etecetera e tal

Talvez sorria por ser mera besteira
Te amo talvez sem eira nem beira
Sei que não posso ter seus braços
Apenas me sustento com seus abraços

Simpática, meiga e carinhosa
As vezes um pouco difícil ou manhosa
Mas clareia meus dias desde quando conheci
Naquele momento que meu passado esqueci

Não sei ainda o porquê dos versos
Tao toscos e tão diversos
Não consigo explicar mais nada
Deveria levar mesmo é uma patada

(Agosto de 2013)