Luz

O escuro, a mistura de todas as cores na tinta e a ausência de cores na luz. Ali é onde eu estava.

Liguei um abajur, azul… vermelho… verde. Iluminou um céu branco em cima de mim.

Brinquei de misturar, de colocar cada uma cor em um lugar, tive milhares de cores, enxerguei a vida.

A luz me trouxe até aqui e então a eletricidade acabou, a luz se foi. Melhor recomeçar.

Talvez

Corremos atrás daquilo que queremos e muitas vezes não nos dão valor algum. Assim foram anos e anos e continuarão sendo durante mais anos e anos. Promessas e quebras de promessas, idas e vindas, pessoas e pensamentos e tudo resumido em um simples talvez. Não somos capazes na maioria das vezes de ser tolerantes e isso e continuar vivendo, inclusive há lágrimas no caminho independente se há ou não outra pessoa no meio.

Eu, pensamento

Pareço ser até calmo mas uma das minhas bandas favoritas toca eletrônico, uso a internet praticamente 24 horas por dia mas a considero uma das piores invenções que já fizeram, as vezes até acham que eu sou legal mas no fundo talvez não seja bem assim e quase tudo o que eu faço é extremamente bem planejado, exceto se eu estiver fazendo isso de maneira que eu não queira nada de volta a não ser um momento feliz.

Tipos

Quadrados pretos, uma grade.
Uma linha, direção certa.

Barriga, braço e perna
Me encurto na incisão
Me prolongo em sua haste
Fico fascinado por seus loops,
Alinho a linha, aquela de base
Te transformo perfeita mesmo que tenha calda.

Morte. Ou um o fim de um pequeno recomeço

Gritava desesperado na minha mente inquieta enquanto minha boca não falava uma única palavra e minha respiração ofegava porém em silêncio no meu quarto escuro. Sabia que dali eu já não iria mIs sair, já não adiantava nada a não ser esperar por aparecer memórias das mais distintas do meu ser.

Não venho a acreditar que poderia ser um fim mas apenas um recomeço e o escuro transformou-se em claridade com um som de violino ao fundo e um piano me chamando, com uma melodia suave e simples. Já não encontrava o meu ser dentro de aquilo que chamava de apenas meu. Apenas meu.

Já compreendia o amor de forma apenas fraterna, me desprendi de todo e qualquer vínculo material do mundo e fui para outro lugar. Um infinito sem destino e sem saber para onde eu poderia ou deveria ao menos andar. Estava preso na imensidão da minha mente louca achando que eu poderia ter passado para o outro lado mas nada se passou de um sonho.

Minha utopia, meu devaneio e minha perda de vontade de acreditar em quem está do meu lado e saber o que é a verdade no final das contas: não sei de nada, apenas invento histórias para alegrar meu coração solitário e perdido que talvez não tenha mais volta e talvez meu sonho na verdade era sim uma realidade não tão distante.

Me afastar do mundo e descobrir que aquilo que eu estava vivendo era uma mentira qualquer? Não sei ao certo e nem quero mais saber. A claridade da minha mente são meus pensamentos e a escuridão também são eles me colocando em prova do que eu quero e do que eu posso ser. Acreditar num mundo melhor? Aceitar tantas diferenças ou perdas? Amores que são apenas amores em nossos corações porque não conseguimos ao menos respirar com o rosto colado de outro alguém? É tudo minha mente ingênua querendo mais um pouco de emoção e apelando por uma outra vida que não seja mais a minha.

Levantar em passos lentos e lembrar que meus pensamentos me levarão à morte ainda por serem tão diversos, me deixarão louco porém não posso apenas me submeter a querer tudo do meu jeito, meu egocentrismo me atinge e me transformo em uma câmera de filme em preto e branco apenas para guardar recordações de um sonho não vivido e que me perdi na imensidão que eu mesmo criei.

Mistério.

Não consigo te entender e acho que nunca vou e isso me instiga, me domina e me faz querer ficar cada hora mais perto e te descobrir aos poucos.

Não sei se é apenas um segredo de um coração partido ou se é uma pulsação mais vibrante que uma partitura em alegro por uma orquestra completa. Para mim, você ainda é mistério.